CLÁUDIA SILVA FERREIRA - CACAU

No Comments »

por Grupo de Trabalho Histórico-político

       Mulher negra, chefe de família, mãe de 4 filhos e acolhia outros 4 sobrinhos, levava seu cotidiano lutando pelo bem estar dos seus. Em 16 de março de 2014 tombou com dois tiros em consequência das intervenções das ações da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, que, como e sabido, tem como alvo preferencial a população negra.
      Como se não bastasse tudo acima, ela inda foi levada como "coisa" na caçamba do camburão que se abriu durante o trajeto sendo o seu corpo arrastado pelas ruas da cidade. Esta cena foi vista nacionalmente em retrato ao descaso cotidiano com a população negra que majoritariamente é favelada. Esse relato retrata o racismo, onde o extermínio da população negra no Brasil, segue a todo vapor, em se tratando de moradores de favelas, onde predomina a lógica do “atire primeiro e pergunte depois”. Dessa forma a mulher negra trabalhadora, chefe de família, Claudia Silva Ferreira, teve sua vida ceifada pela policia militar do Rio de Janeiro. A política do Governo do Estado é impor a truculência a qualquer custo sobre o nosso povo. Predomina neste país o extermínio do povo preto, visto como suspeito em potencial. O aparato policial militar a cada dia torna-se mais implacável nas suas ações contra o nosso povo, e assim seguimos sendo alvo preferencial desta prática. 
       O ato bárbaro dos policiais militares que tirou a vida de Cláudia, e que a todos nós chocou profundamente, há muito tempo já se tornou rotina. Exemplos temos e muitos, aqui no Estado do Rio de Janeiro bem como em toda parte desse pais, a exemplo do pedreiro Amarildo, Douglas e tantos outras vitimas dessa política. Tudo isso deve nos servir de alerta. Sobre a nossa juventude preta não é diferente, vide as estatísticas oficias, que apontam uma realidade cruel que se abate sobre eles, onde a expectativa de vida, não ultrapassa a idade dos 24 anos. Não podemos e não devemos nos calar, diante de mais esse crime, cometido pelos chamados Agentes do Estado. É de total responsabilidade do governo Cabral, mais essa tragédia, que se abateu sobre mais uma família de trabalhadores moradores negros de favela do Rio de Janeiro. A nossa tarefa é lutar contra esse quadro de covardias dos governos Estadual, Federal e Municipal, que vem submetendo milhões de pretas, pretos e pobres nesse país afora, a uma onda de terror, que criminaliza e marginaliza a todos nós pela cor da pele.
       CONTRA O EXTERMÍNIO DO POVO PRETO, CONTRA A OCUPAÇÃO MILITAR DAS FAVELAS DO RJ. SÓ A NOSSA LUTA PODE GARANTIR A VIDA.
Escrita pelo Movimento Negro
Assinam:
Aqualtune
Arte Griot
Afrolaje
Marking - Movimento de Ação e Reflexão
Criola
Nefet
MNU-Juventude RJ
Espaço cultura Almirante João Cândido
Fórum Juventudes RJ
Fórum Estadual de Mulheres Negras
AMAR (Associação de Mulheres de Ação e Reação)
Coletivo Meninas Black Power
Preta&Gorda
Educafro
Coletivo Munervino de Oliveira
Movimento Negro da FND
Instituto Búzios
Movimento Nacional Quilombolas Raça e Classe
Mulheres Negras Construindo Visibilidade
Pastoral Regional Metodista de Combate ao Racismo
Comissão de Igualdade Racial OAB-RJ
Coletivo de Estudo Jurídicos Luiz Gama
Granes Quilombo
Conadedine
Grupo de Trabalho Psicologia e Relações do conselho Regional da Bahia.
       Aproveitamos para convidar a todos, especialmente Meninas Black Power, para participarem do ato "A Paixão de Cláudia". Será uma homenagem póstuma à mulher negra assassinada pela PM do Rio de Janeiro. O ato acontecerá dia 18 de abril, com concentração em frente à Igreja da Nossa Senhora da Consolação, às 15h. Está sendo articulado pela empresa Cubo Preto Ensino de Arte e Cultura Ltda., juntamente com ONGs, associações, empresas, órgãos da imprensa formal e informal e por profissionais de várias áreas das artes e interessados na vida em sociedade de modo geral. Participem! Maiores informações: https://www.facebook.com/PaixaodeClaudia.



RECEITA DE LEAVE IN ORGÂNICO DE BABOSA

No Comments »

por Grupo de Trabalho Moda e Beleza
       Encontrar o leave in perfeito pode ser um desafio para quem tem cabelo crespo natural. Existem tantas linhas de produtos que prometem hidratação e brilho... Antes de investir no próximo produto superpopular, que tal tentar fazer e testar o seu próprio leave in? Você acabou de encontrar uma incrível receita de leave in orgânico e a melhor parte: você só precisa de três ingredientes! Quem pensou que poderia ser tão simples?
         Com aproximadamente 4,5 de pH, a acidez da babosa é uma grande aliada, pois fecha as cutículas do cabelo. A consequência é um cabelo mais macio, menos frizz, além de definição e brilho. A babosa pura é bastante leve e não deixa o cabelo oleoso ou pesado. Também não o deixa com a aparência de estático, sem movimento. Vejam a receita e mais informações:

- Receita
100 ml de água
100 ml de babosa (apenas a porção gelatinosa batida em liquidificador)
10 gotas do óleo essencial de sua preferência.

- Instruções 
         Misture levemente a água e o gel de babosa. Despeje o conteúdo em um borrifador e agite . Adicione o óleo essencial escolhido e agite. Use diariamente ou quantas vezes for necessário para restaurar a suavidade dos fios.

- Benefícios
       Esta mistura dá hidratação aos cabelos, facilita o desembaraçar, define, reduz coceiras e descamação do couro cabeludo, equilibra o pH e é uma boa aposta para redução de oleosidade em cabelos oleosos. E vocês, Meninas? Costumam usar babosa nos cabelos? O que acham? Compartilhem com a gente!

Fonte: Songstress A

SOBRE LIBERDADE

No Comments »

por Jaciana Melquiades


       Depois que deixei meus cabelos livres de químicas que modificavam a estrutura dos meus fios, me peguei pensando/conversando/refletindo sobre liberdade. Liberdade dos fios de cabelos, sobre o "poder fazer o que quiser com os cabelos", sobre autoconhecimento.
       Entendam que aqui vai a minha percepção, pensada a partir de minha trajetória e experiência pessoal com meus cabelos. Eu usei relaxantes por muito tempo. Mas usei relaxantes com o único pensamento de possuir uma estrutura capilar que eu elegi (com a ajuda da mídia, do racismo, das piadas pejorativas, da autoproteção) como ideal. Passei anos nessa busca. Nunca estava suficientemente boa a forma dos meus "cachos". A raiz precisava de retoques, o fio de mais cachos, os cremes e hidratações tinham que ser milagrosos... E caríssimos. E nunca estava suficientemente bom! Sei que já disse isso, mas era sempre assim: frustrações recorrentes, seguidas e mais certas que o dia. Quando eu olhava fotos anteriores ao momento em que estava vivendo, via beleza... mas no espelho, não.


       Achava ótimo ter um cabelo com etiqueta. No fim das contas, era uma competição: comigo, com amigas, com uma comunidade virtual na qual todas as participantes esbanjavam conhecimentos químico-capilares, dinheiro e cachos (esses eram os mais sonhados e idolatrados!). Eu não me conhecia e mensalmente fazia o mesmo ciclo, a mesma maratona. Sofria a CADA fio perdido: eram menos cachos, dinheiro no lixo, estresse que tomava o dia! Um único pormenor não era levado em consideração: EU NÃO TENHO CACHOS! Nunca tive e nenhuma química seria capaz de me dar isso satisfatoriamente. Percebam: ter cachos definitivamente não é um problema... É lindo! Porém, não é o meu caso. E a busca pelos cachos perfeitos só maltratou meus cabelos e minha autoestima.
       Larguei os relaxamentos. Não foi simples. Pasmem: meu cabelo simplesmente não cai mais! Só faz crescer, pra cima, forte, meu! Ele não brilha, não mostra o crescimento (é preciso que eu pegue uma mecha e estique para ver toda a extensão dos meus fios), não faz cachos, não balança, não, não, não, não, não. Parei com os "nãos" também. Fui aprender o que ele faz e como é que se faz qualquer coisa nele. Larguei também os espelhos distorcidos que eu tinha e que só me faziam ver erro em meus fios! Estou aprendendo muito. Descobri que posso ter os cabelos que eu quiser, mas sobretudo, percebi que meus cabelos são meus e são únicos.


       Penso hoje nos recursos que uma mulher negra de cabelos crespos possui para diversificar seus penteados, usar os cabelos lisos, cacheados, crespos. Escovas, relaxantes naturais, técnicas infinitas de texturização dos fios, tranças. Não vejo nada disso com maus olhos, até uso muitos desses recursos pra modificar meu visual, mas mesmo sem alterar a estrutura dos meus fios, acho importante que esses recursos sejam usados com tranquilidade e que nunca funcionem como meios de "camuflar", "disfarçar" ou esconder a estrutura dos próprios fios. É preciso que entendamos nossos cabelos, a forma ideal de penteá-los para que não se partam e para que a tarefa seja prazerosa. Que o toque em nossos cabelos não nos cause repulsa ou estranhamento, e que o cafuné nos deixe confortável.
        Hoje meus cabelos só podem crescer, pois nada do que uso faz cabelos caírem ou minguarem. Hoje não tenho nenhum receio de tocar meus cabelos na rua, no reflexo do carro... Aliás, não ando mais me olhando em cada carro que passa por mim, pois sei que meus fios estão exatamente onde estavam pela manhã quando me arrumei! Hoje penso que sou livre pra deixar meus cabelos serem plenos e me darem toda a variedade que eles comportam. Aprendi que meus cabelos podem ser minha digital. Troquei a etiqueta pela identidade.

P.S. Todo amor aos meus espelhos.

"BLACK HAIR NOW!" NA NOVA EDIÇÃO DA ESSENCE

No Comments »

por Grupo de Trabalho Moda e Beleza

        Inspiração tripla e que a cara de Meninas Black Power na capa da edição de beleza da revista ESSENCE (que é norte-americana, direcionada para leitores negros e todo mês lança uma nova inspiração incrível!) disponível no próximo mês. Erykah BaduLedisi e Solange, muito conhecidas por nós, são as divas da vez.  A revista diz que a edição é uma "comemoração da beleza individual, e isso é exatamente o que vem à mente com as três mulheres da capa". Vamos dar uma olhada nas capas e algumas fotos e torcer pra que cheguem logo as outras, né?!




"Beleza se parece com encorajamento, paciência, aceitação, perdão, cuidado e compaixão. A beleza é espiritual e física. " - Erykah Badu

“Eu acho que sou a coisa mais sexy do mundo quando estou no palco. Eu me sinto assim mesmo quando não estou cantando, porque isso vem de dentro. Comecei a me sentir bonita porque eu vim da beleza.” - Ledisi
      Como amamos estas moças, separamos três sons bem MBP para embalar o balanço de nossos crespos por aí. Apertem o play e aproveitem!

 

 


Fotos: Greg Lotus
Fonte: ESSENCE Magazine

MBP TESTOU - YENZAH SOU + CACHOS

No Comments »

por Grupo de Trabalho Moda e Beleza

Fonte desconhecida

          Hoje a dica é das boas, Meninas! A linha Sou + Cachos foi um super achado e pode ser uma boa aposta para crespos. É criação da Yenzah e pude experimentar três dos seis produtos que a linha apresenta: shampoo ativador (200ml), condicionador ativador (200ml) e creme leave-in ativador suave (240ml). Os outros produtos são creme leave-in ativador forte, gel leave-in ativador e máscara ativadora hidratante. Sobre as texturas, o shampoo é bastante concentrado, não muito aquoso e alcançou bom resultado com apenas uma aplicação; o condicionador apresenta consistência média e é fácil de distribuir; o leave-in, mesmo sendo descrito como suave, possui consistência mais firme que a da maioria dos produtos semelhantes que já experimentei (por isso ajudou bastante na definição da forma) e lembra mousse. 

Foto: Instagram @elidaquino

Vamos às descrições?
- Shampoo ativador: 
    A embalagem descreve "0 sal", observando que não há "adição de sal (cloreto de sódio)", e também lipoprotein (que "retira a oleosidade natural do cabelo da raiz e a distribui pelo comprimento dos fios até as pontas" e é "um composto exclusivamente criado pelo centro de pesquisa e desenvolvimento Yenzah, que reúne liponutrientes e proteínas") e óleo de algodão. Promete ação imediata. Vejam a composição e outras informações abaixo:



- Condicionador ativador: 
       Assim como o shampoo, descreve "0 sal", lipoprotein, óleo de algodão e promete ação imediata. Vejam a composição e outras informações abaixo:


- Creme leave-in ativador - Suave: 
    É sem enxágue e para pentear, também com lipoprotein e óleo de algodãoVejam a composição e outras informações abaixo:


     "Ok. Mas fala do mais importante, Élida! Como ficou a cabeleira?" Calma, calma... Estamos chegando lá. É importante começar dizendo que meu crespo é 4A/4B. Na foto que segue vocês verão o cabelo antes de lavar. Era o meu quinto day after. O processo: antes de lavar umectei com azeite, desembaracei, dividi em 6 partes e parti pra lavagem. Costumo lavar somente a raiz (como aqui neste exemplo) e usar á água com shampoo no comprimento. Após o enxágue apliquei uma nutrição de abóbora utilizando a máscara Seda Keraforce para naturais (veja aqui), condicionei após o enxágue e finalizei utilizando o creme leave-in em quantidade considerável. Apliquei como numa fitagem, mecha por mecha e passando os dedos. Secou naturalmente e depois de seco utilizei óleo de coco caseiro. 
       Não me importo muito com frizz ou definição, mas considero que os produtos obtiveram sucesso nestes quesitos. O que mais curti foi a sensação de maciez e a duração desta sensação. Consegui os meus cinco days after de costume, mantendo o cabelo de um jeito que gosto e com maciez semelhante a dos primeiros dias. Confiram o resultado inicial na foto abaixo.


      Na minha avaliação final, atribuindo valores de 1 a 5 para cada um dos quesitos abaixo, os produtos usados tiveram média 4,75! Não apostei muito no brilho por ter usado o óleo no fim, mas ainda assim vale a pena investir neles. Em compensação, daria 10 para o cheiro. Meninas que gostam de perfumes incríveis que duram bastante, podem investir sem medo. 


      E vocês? Já testaram estes ou outros produtos da linha? O que acharam e como aplicaram?! Compartilhem aqui! Será um prazer aprender com vocês.

MEU CABELO É 4C. E AGORA?

19 Comments »

por Tainá Almeida

      Eu sempre quis cabelo black power. Queria o maior, mais lindo, mais tudo. Pesquisei, lógico. Percebi que meu cabelo deveria ser super parecido com as maiores divas do meu coração: Esperanza Spalding e Erykah Badu. Pensei: Moleza, piece of cake, molengo tengo, tenho minhas divas master como espelhos. Comecei a trajetória crespa, percebi que a teoria é uma coisa, a prática, outra. 
      Nesta sociedade não existe pessoa que esteja preparada para assumir um 4C. Quando pensamos em cabelo crespo, pensamos em mulheres com cachos perfeitos com o diâmetro de um dedo indicador. Não tenho isso. Quando pensamos em cabelo crespo, pensamos em horas a menos na preparação. Não tenho isso. Quando pensamos em cabelo crespo, não pensamos em 4C, mas isso eu tenho. Quando me vi com o grande corte [depois de retirar toda a parte com química e ficar só com o natural] e percebi que meu cabelo não estava nas capas de revista, deu medo, mas eu fiquei firme. Pensei na Esperanza, na Erykah, pensei em toda a liberdade que eu poderia terSó de pensar que eu não precisaria pensar em alisar minha raiz a cada 20 dias, só de pensar que eu não precisaria ficar sufocada com o cheiro do formol, apareceu uma força ancestral que me ajudou a manter meu crespo aqui, rico e finalmente empoderado. Hoje, com um 4C, valorizo meus micro cachos, entendo meu fator encolhimento e acima de tudo, respeito… pois só quem tem um 4C sabe o que é se submeter à vontade do próprio cabelo.
      E agora? Agora é conhecer o cabelo, descobrir que ele gosta de creminhos, óleos, carinhos. Eu descobri que a melhor coisa para o meu crespo é não usar pentes e sim os dedos para desembaraçar. A cada dia é uma descoberta. Como ninguém fala disso, como não temos 4C na mídia, a gente descobre tudo aos poucos. Mas estou longe de desistir!

SEU CONDICIONADOR É EFICAZ?

2 Comments »

por Élida Aquino

Fonte desconhecida

       Sempre encontramos leitoras que buscam produtos perfeitos, sabem? Aqueles mágicos, que garantam máxima hidratação, definição e outros desejos muito comuns entre as crespas naturais por aí. Bem, aqui no Meninas Black Power sempre vamos questionar o desejo intenso por esta perfeição de cachinhos e acreditamos que é muito bom pensar nisso, mas é um tema pra outra conversa. Hoje vamos falar sobre a eficácia dos produtos que escolhemos experimentar, especificamente do condicionador.
       Bem, há uma infinidade de hábitos capilares que as crespas andam colocando em prática. Umas optaram por métodos como no ou low poo e entraram num regime que restringe o uso de produtos por conta da composição, outras só estão mais atentas aos rótulos, mas todo mundo quer mesmo é investir no que proporciona saúde e beleza aos fios, cumprindo o que a embalagem promete. Sobre o condicionador, também conhecemos várias formas de aplicação: após a lavagem com shampoo, após o tratamento (hidratação, nutrição, etc.), fazendo o papel de shampoo para as praticantes de co-wash ou como finalizador mesmo. E o que determina que o condicionador que estamos usando realmente serviu? Pensando nisso nos inspiramos num post do BGLH que aponta quatro resultados básicos, que autora chama de must-haves (algo como "tem que ter", "é indispensável"), no desempenho de um condicionador. Ela ainda acrescenta: "Gostaria de dizer que se seu condicionador falha em qualquer uma dessas quatro áreas, é realmente possível que haja algo melhor lá fora para você." Prontas para os testes?

1.    Sensação de suavidade instantânea
           Um ótimo condicionador funcionará instantaneamente (e eu digo em menos de um segundo) para corrigir a cutícula levemente elevada que o uso de shampoo pode criar. Isso significa que os fios vão de imediato se mostrar suaves ao toque. Se nossos cabelos não parecem mais suaves imediatamente após a aplicação do condicionador, ele não é útil para o uso após a lavagem.

2.     Maciez em longa duração
         Condicionadores são feitos para deixar reservas de nutrientes nos fios e elas são elas que promovem a tal sensação de maciez quando tocamos. Um ótimo condicionador vai resistir ao enxague completo e, portanto, a sensação de maciez durará vários dias (cerca de três dias), se não lavarmos de novo antes do fim deste período.

3.     Elasticidade para os fios
           Condicionadores agem na restauração, devolvendo a umidade aos cabelos. Isto se deve, em parte, a entrada da água e adição de pequenos ingredientes (proteínas hidrolisadas, por exemplo) que também podem carregar água. Eles devem reparar a superfície da cutícula para retardar a perda de umidade com o passar dos dias. Um dos resultados que define este processo é que o cabelo depois de condicionado ganhe excelente elasticidade. Para cachos que tendem a ficar juntinhos (como é o caso do tipo 4) isto pode ser indesejável, por causa do fator encolhimento, mas cachos mais soltos terão a capacidade de esticar sem quebrar ou necessitar de força excessiva, tornando o cabelo mais fácil de pentear.

4.    Cabelos menos embaraçados
          Se escolhermos desembaraçar o cabelo no momento em que aplicamos o condicionador, a tarefa deve ser muito fácil. A combinação dos três efeitos anteriores (suavidade, maciez e alta elasticidade) tornará o ato de pentear indolor e de nada cansativo. É bom lembrar que se o condicionador for rico em ingredientes que facilitam o deslizamento (tipo óleos e silicones devemos ficar atentas ao excesso de pentear o cabelo, já que os fios vão exigir menos esforço para desembaraçar enquanto envolvidos no condicionador  e isso pode ser prejudicial.

       E aí? Descobriram se o condicionador que estão usando é bom mesmo? Compartilhem com a gente!