SOBRE CRESPO, A LUTA E A GRATIDÃO

por Adriane Henderson
Fonte: Tumblr
      Tenho andado pelas ruas e perdido as contas. Perdido as contas de quantos cabelos crespos vejo por aí. Crespos mesmo, do jeito que eles são em todo o seu embaraço, com todas as suas irregularidades, em toda multiplicidade de cor e texturas. Não “relaxados”, não “domados” como os querem os rótulos de xampu. Cabelos crespos que andam por aí a fazer reverências à cor da pele, aos largos narizes, às grandes bocas, aos largos e fortes quadris. Crespos que guardam memórias e vão por aí a encrespar também os que insistem em alisar o mundo. Tenho andado pelas ruas e sentido gratidão por cada homem, cada mulher preta que, com seu cabelo, me oferece também a sua história, sua resistência. E compartilha comigo uma dor que de tão cotidiana parece, por vezes, nosso lugar comum. Me oferecem, com seus crespos, a chance de saber-me bonita. Bonita, sim! E me oferecem, acima de tudo, as possibilidades de me identificar, de poder pensar: "talvez meu cabelo ficasse bem com esse corte"; "talvez meu cabelo fique bem com essa cor". 
      Parece uma bobagem quando você não viveu uma vida em que durante vinte e poucos anos seu cabelo não tem outro lugar se não o "cabelo ruim"; o que precisa "dar um jeito"; o que "tem volume de mais"; o que "não tem jeito". Amarra! Prende! Tá feio assim! Alisa logo! Uma violência tão sutil quanto institucionalizada, praticada dentro de casa, entre os amigos e por aqueles que te querem bem. Hoje reverencio meus antepassados que com suor e sangue resistiram e ainda assim nos ofereceram alegria e beleza na música, na dança, nas artes, na mitologia. Tenho andando pelas ruas e reverenciado cada homem, cada mulher preta que com seu crespo exerce liberdade, por que essa só pode estar presente no gesto cotidiano, nunca foi institucional. Reverencio cada homem e cada mulher preta que com seu crespo segura a minha mão e me faz hoje afirmar com toda minha força: "sou negra ainda que tu me queiras morena".

This entry was posted on 11/02/15 and is filed under ,,. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

3 Responses to “SOBRE CRESPO, A LUTA E A GRATIDÃO”

  1. I love love love this movement thank you Brazilian sisters for making a statement and loving what we are born with! Beautiful hair, beautiful skin, beautiful lips... Yay!

    ResponderExcluir
  2. Encantada com as palavras .... exatamente estamos vivendo uma liberdade de expressão que nunca imaginei viver. Pra ser sincera já estou até enjoando de ouvir as pessoas dizer como seu cabelo é lindokkkk .... Engraçado que muitas são as mesmas pessoas que um dia me perguntou porque você não faz uma escova no seu cabelo. Amei a reportagem Parabéns meninas

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!