DICAS PARA ESCAPAR DA QUEBRA NA TRANSIÇÃO

por Élida Aquino

Foto: Shaina

      A gente sabe bem que a transição do cabelo com química para o natural não é simples, mas com alguns cuidados é possível tornar esta fase mais leve. Este post é especial para quem está considerando voltar ao natural ou já começou a "jornada". Ele foi inspirado em um artigo originalmente publicado em Black Hair Information. Aqui vocês encontrarão dicas úteis para preservar os fios da quebra até que chegue o momento do corte. Aproveitem, Meninas!

1.    Não esqueçam a proteína!
Tratamentos que contenham proteína vão dar a força extra que o momento da transição necessita. O ideal é eliminar os danos causados pelar químicas utilizando estes tratamentos intensos, hidratações e cortes leves. Investir em tratamentos assim nunca será prejudicial, já que é de proteína que nossos fios são compostos. O truque é encontrar tratamentos que agradem. Vejam aqui algumas receitas pra testar (estão em inglês, mas é fácil entender).

2.    Evitem mexer muito e invistam em penteados protetores
A transição é o momento perfeito para começar a tratar o cabelo com toda a gentileza do mundo, caso vocês não tenham feito isso antes. O cabelo já está fragilizado por todos os processos químicos pelos quais passou e manipulá-lo demasiadamente pode ser prejudicial, por isso pratiquem penteados que possam ser usados por vários dias sem precisar remover, especialmente neste período. Podem ser twists, tranças, etc. Importante lembrar que tranças muito finas podem danificar os fios. Usem tranças com maior espessura, fiquem com elas por até 2 meses e não esqueçam de dar aos fios um tempo de repouso (entre uma trança e outra) de no mínimo duas semanas (aproveitem esse tempo para investir nos tratamentos).  Muitas meninas também têm dúvidas sobre usar alongamentos nesta fase (já falamos sobre o assunto aqui). Lembrem-se que é preciso muito cuidado na forma de colocar o cabelo do alongamento e mais cuidado ainda no tratamento e manutenção. Vejam aqui um exemplo prático de como devem ser as tranças e confiram abaixo exemplos de penteados que ajudam na transição. 

Dica: buscando por protective hairstyles Google, YouTube e outras redes vocês podem achar mais coisas. Neste painel do Pinterest, pro exemplo, há muita ideia pra testar!

3.    Invistam em materiais adequados para pentear
Queremos reduzir a quebra e danos ao máximo, então investir em pentes e escovas de boa qualidade é essencial. Façam suas pesquisas e encontrem as melhores opções pra vocês. Escolham as que irão se adequar ao tipo de fio natural, mesmo a maior parte do comprimento ainda esteja com química. Ah! Não esqueçam que os dedos são ótimos aliados para pentear e não custam nada. Colocamos abaixo um vídeo da Vânia Luz que pode ajudar a entender mais.



4.    Fronhas, lenços e toucas de cetim ou seda
Ainda falando sobre "grandes ferramentas", apostem nos benefícios de proteger os fios com seda e cetim quando forem dormir. Esses tecidos preservam os fios e deixam os níveis de umidade sempre equilibrados. Vejam abaixo  a dica da Beatriz Andrade de como fazer uma touca em casa:



5.    Evitem o calor
Pode ser tentador dar "um jeitinho" para disfarçar a diferença de texturas, mas evitando o calor também evitarão muita quebra e os tratamentos de proteína vão cumprir a missão de reparar os danos, por exemplo. Nesta fase a parte mais frágil do fio é a linha que divide a porção natural da que ainda está com química e  a adição de calor agravará qualquer possível dano.

6.    Condicionamento profundo regularmente
Condicionando profundamente vocês manterão os níveis de hidratação do cabelo. Esse tipo de tratamento pode ser feito durante a noite ou em menos de 15 minutos, dependendo dos produtos usados e da condição dos fios.

7.    Lavem o cabelo por partes
Esta é uma super dica, hein?! Preservem esse hábito depois da transição, aliás. Dividam o cabelo em quantas partes acharem melhor (lembrem-se: quanto menores forem as partes, mais fácil será desembaraça e aplicar os produtos) e mãos à obra! Vejam abaixo um exemplo dado por Mane Moves sobre como preparar, lavar e condicionar o cabelo.



8.    Façam "co-wash" e/ou tentem usar shampoo sem sulfato
Pra quem não conhece, o co-wash (que vem de "conditioner washing", "lavar com o condicionador”) consiste em substituir o shampoo pelo condicionador na limpeza dos fios. Utilizar o condicionador (preferencialmente sem petrolatos) na limpeza não retira a oleosidade natural e é uma maneira rápida de aumentar a hidratação quando faltar tempo para investir em um tratamento completo. Usando um shampoo livre de sulfato (já que este componente abre as escamas dos fios, fragiliza e torna o cabelo vulnerável ao ressecamento e perda de nutrientes) a limpeza está garantida e os fios não serão agredidos. Determinem quantas vezes é possível encaixar o co-wash e o uso do shampoo na rotina capilar.

9. Usem os produtos certos
Produtos cosméticos específicos para cabelos crespos ou cacheados ajudarão na transição. Cremes para pentear, óleos vegetais, manteigas, máscaras de tratamento e etc., podem ajudar a lidar com a diferença de texturas e ainda promovem a saúde dos fios. Sabemos das limitações quando o assunto é encontrar produtos acessíveis no mercado comum, mas não percam a disposição, ok? Pesquisem e testem até que encontrem os que vão se encaixar com o tipo de fio e rotina capilar de vocês.


Alguma dúvida? Podem entrar em contato com a gente aqui nos comentários, mensagens na página do Facebook ou no email blogmbp@gmail.com. Também vamos gostar de ler dicas das que já passaram com louvor pela transição. Vamos lá!

This entry was posted on 04/02/15 and is filed under ,,,,. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

Leave a Reply

Obrigada por comentar!