MULHERES PRETAS QUE MOVIMENTAM #12 - DJ TAMY

por Karina Vieira

Foto: I Hate Flash
       Nas festas mais incríveis aqui do Rio, tem uma hora que não dá pra ficar parada, que todas as músicas babadeiras são tocadas, aquelas que parecem que saíram direto da nossa playlist pessoal. A responsável por isso responde pelo nome de DJ Tamy, a melhor dj do Rio de Janeiro.
        Tamyris - ou melhor, DJ Tamy - é encantadora e faz das festas um local onde ninguém consegue não dançar. Tocando desde Nina Simone até The Internet, a Tamy arrasa muito.


MBP - Quem é você?
DJ Tamy - Me chamo Tamyris , sou preta , Dj, estudante de jornalismo e da moda [risos]. Acho bem difícil eu mesma me definir, mas acredito que eu seja uma pessoa simples em processo de evolução.

MBP - Como se deu a descoberta da sua negritude?
DJ Tamy - Como grande parte das pretas que conheço, foi a transformação com o cabelo que me levou a me conhecer melhor. Quando pequena minha mãe sempre deixava meu cabelo black ou com tranças, porém por volta dos 7, 8 anos, pedi para minha mãe alisar meu cabelo por conta das retaliações que eu sofria na escola. Minha mãe a princípio não queria, porém eu insisti tanto que ela fez minha vontade. Por volta dos 16, 17 anos deixei o processo químico e voltei às minhas raízes de fato. 

MBP - O que te levou a escolher a sua profissão?
DJ Tamy - Basicamente gostar de música. Isso que me levou a escolher ser Dj. Acho que o fato de eu ter estudado música quando criança e me identificar com a cultura Hip Hop me levou a isso também. Fora a música, estou estudando jornalismo, acredito que no meu período de graduação já evolui bastante como pessoa, e quando me formar espero trabalhar pra fortalecer os meus .


Foto: acervo pessoal
MBP - Como foi o caminho da sua graduação?
DJ Tamy - Ainda estou construindo ele, e já está acabando. Minha decisão pelo jornalismo na verdade foi uma segunda opção, eu queria na real fazer faculdade de moda, só que pra gente que é preto surge vários questionamentos né, principalmente da família, será que vai dar certo? é uma boa eu estudar isso? Meu pai não ficou muito feliz com minha escolha por moda e insistiu que eu fizesse algo "mais sério” no ponto de vista dele, aí acabei ficando com minha segunda opção que era jornalismo, e eu até que estou gostando.

MBP - Quem são as pretas e pretos que te inspiram?
DJ Tamy - Creozete Oliveira (minha mãe), Martin Luther King (como ativista e cristão). Na música: Erykah Badu, Queen Latifah , DJ KB e Lauryn Hill .

MBP - Quem é aquela mulher preta que você conhece e quer que o mundo conheça também?
DJ Tamy - Camila Mamede. Ela é engenheira e uma amiga minha de longa data. Tem um pensamento muito sensato em relação a tudo, é inteligente demais. Acho que muita gente tem que conhece-la e se possível trocar uma ideia com ela.

MBP - Na sua trajetória profissional o quanto avançamos e o que ainda temos que avançar?
DJ Tamy - Tenho 9 anos de discotecagem e evoluí porque busquei conhecimento e luto mesmo pra ocupar meu espaço. Sabemos que aceitar uma DJ preta, gorda, que foge totalmente dos padrões que são estabelecidos, não é natural para todos os contratantes, mas graças a Deus tenho comigo só contratantes e marcas fortes e que sabem quem são, que nem eu. Dentro do mercado DJ, entre 100 profissionais, 10 são mulheres. Negras então... temos pouquíssimas ainda. Aqui no Rio, que eu saiba, de mulher preta em ação só tem eu e a Ana Paula Lisboa, que é muitas outras coisas também. A nível Brasil tem outras: a Tati laser, Nai Sena, Pathy de Jesus... Essas que eu conheço. Me impressiona ver dentro do Hip Hop poucas minas pretas discotecando. Por isso que eu boto maior pilha mesmo pras meninas pretas que quiserem entrar nesse mercado, irem com tudo.

MBP - Como você lida com a sua estética negra?
DJ Tamy - Dou preferência a usar produtos pro meu tipo de pele, apesar de não ser uma regra pra mim. No cabelo é muita coisa! Meu cabelo é crespo e eu aproveito a força que ele tem e faço várias mudanças. A cada mês estou com ele diferente. Às vezes deixo solto, outras coloco trança... No momento estou com trança nagô na raiz e cabelo azul preso a elas.
MBP - O que é representatividade pra você?
DJ Tamy - É ser você mesma e ser espelho para os que são iguais a você, mesmo os que estão em processo de autoconhecimento.

Conheça mais do trampo da Tamy aqui.

This entry was posted on 25/08/16 and is filed under ,,,. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

Leave a Reply

Obrigada por comentar!